Biberões e tetinas: Como escolher?

A escolha adequada depende de vários fatores e pode ser sempre pedida ajuda ao pediatra ou ao farmacêutico. Fique, no entanto, a conhecer já um pouco deste mundo de acessórios destinados ao aleitamento artificial. Biberões Os biberões podem apresentar materiais, formatos e capacidades diferentes. Material: podem ser de vidro ou plástico, recomendados habitualmente de acordo com a idade do bebé. Os biberões de vidro são fáceis de esterilizar e adequados para recém-nascidos; Os biberões de plástico são mais leves e não partem, sendo mais adequados para quando o bebé já consegue segurar no biberão sozinho. A desvantagem do plástico é que tende a ficar baço e riscado com as repetidas esterilizações e lavagens. Tamanho: normalmente podem ir desde os 50 aos 340 mL Inicialmente, os biberões com menor capacidade são perfeitamente suficientes (90 ml/120 ml). Estes biberões de pequeno formato podem servir mais tarde para a água ou sumos de fruta; Posteriormente, será necessário biberões de maior capacidade (de 240 ml a 340 ml) Forma: cilíndrica – forma mais utilizada; triangular – fácil de segurar e limpar, muito estável; larga – permite verter facilmente o leite no biberão e é de limpeza fácil; ergonómica – facilita ao bebé segurar o biberão com as mãos, todavia não o deve fazer deitado, devido ao risco de engasgamentos graves e asfixia; em ângulo – chamado também de biberão anti refluxo. Tetinas Na escolha da tetina mais adequada há que ter em atenção alguns fatores: Tamanho e velocidade de fluxo: Tetinas com um só furo são adequadas para bebés do nascimento ao 1º a 2º mês de idade; Tetinas com dois, três ou quatro furos (fluxo lento, médio e rápido) são recomendadas a partir dos 3 a 4 meses; Tetinas com diferentes velocidades de fluxo (com cortes transversais) poderão ser necessárias quando se mistura papa de cereais no leite ou quando se quer espessar o leite infantil; Forma: ortodônticas – assemelham-se ao mamilo e imitam a forma que o mamilo adquire pela ação de sucção da amamentação; anticólicas – limitam a ingestão de ar pelo bebé, o que facilita a mamada e reduz a possibilidade de causar cólicas; ventiladas – reduzem a ingestão de ar pelo bebé e são desenhadas de modo a não entupirem durante a refeição, assegurando ao bebé sempre o mesmo fluxo de leite. Material: A tetina de borracha fica gradualmente mais mole e deve ser substituída regularmente; A tetina de silicone não tem gosto nem cheiro, mas é mais dura sobretudo quando é novas e é preciso algum tempo para que o bebé a “molde à sua boca”.