Crosta láctea: tudo o que deve saber!

Esta situação é completamente normal e pode acontecer a qualquer criança nos primeiros dias ou meses de vida. A crosta láctea é inofensiva (e não contagiosa) e, na maioria das vezes, desaparece ao fim de algumas semanas.

Mas… qual é a causa?

Também conhecida por dermatite seborreica infantil, a crosta láctea ainda não tem uma causa concreta definida. Contudo, existem estudos que apontam as hormonas maternas (transmitidas para o bebé ao longo de toda a gravidez, através da placenta) como uma das possíveis causas do excesso de sebo (gordura), típico desta situação. Após secar, o sebo forma placas/escamas, brancas ou amareladas, e oleosas, cuja concentração em excesso leva à formação de crostas. Outras zonas afetadas: sobrancelhas, pregas das orelhas, rosto, dobras da pele, nomeadamente nas nádegas (zona da fralda) e zonas onde existam glândulas sebáceas.

Apesar de não causar incómodo ao seu bebé, a crosta láctea poderá ser inestética… saiba alguns dos cuidados a ter:

  • Aplique óleos pediátricos, indicados para o efeito (de elevada ação emoliente, ou seja, com propriedades que permitem amaciar/amolecer), sobre o couro cabeludo e outras zonas afetadas, realizando uma suave massagem. Deixe atuar durante alguns minutos para que as crostas amoleçam;
  • Lave cuidadosamente o couro cabeludo do seu bebé com um champô suave e adequado. Aconselhe-se com o seu farmacêutico sobre os mesmos;
  • Com a ajuda de um pente adequado para bebés, retire suavemente as placas soltas. Atenção: não tente retirar as placas com a ajuda das unhas, pois pode criar lesões na pele que aumentam o risco de infeção;
  • De seguida, enxague com água tépida e seque o cabelo e corpo do bebé com uma toalha macia, sem esfregar.
Na maior parte dos casos, estes cuidados são suficientes para evitar a acumulação das escamas. Se, após manter os devidos cuidados, não verificar melhorias ou houver um agravamento dos sintomas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

Related Posts